Noticias

Deus quer pessoas livres, diz Papa aos jovens coroinhas

   05/08/2014
Fonte: papa.cancaonova.com   

Mais de 50 mil jovens coroinhas de língua alemã encontraram-se com o Papa Francisco nesta terça-feira

 


   Em clima de festa, mais de 50 mil coroinhas de língua alemã se encontraram com o Papa Francisco no final da tarde desta terça-feira, 5, na Praça de São Pedro, no Vaticano.

 


   Após a celebração das Vésperas e a saudação ao Santo Padre feita pelo presidente da Conferência Episcopal alemã, Cardeal Reinhard Marx, o Pontífice respondeu às perguntas de alguns jovens coroinhas.

 


   “Livres! Porque é lícito fazer o bem”. O tema da peregrinação a Roma dos coroinhas alemães esteve presente na celebração das Vésperas.

 


   Na homilia, o Santo Padre disse que o Senhor quer pessoas livres. “Deus nos mostra que Ele é o bom Pai”. E o faz mediante a encarnação de seu Filho. Através de Jesus, “podemos entender aquilo que Deus verdadeiramente quer”:

 


   
“Ele quer pessoas humanas livres, a fim de que se sintam como filhas de um bom Pai. Para realizar esse desígnio, Deus precisa somente de uma pessoa humana. Precisa de uma mulher, uma mãe, que coloque o Filho no mundo. Ela é a Virgem Maria, que honramos com essa celebração vespertina. Maria foi totalmente livre. Em sua liberdade disse sim.”

 


Jovem como protagonista na Igreja

   Após a homilia, o Pontífice respondeu a algumas perguntas. Como os jovens – perguntou um coroinha – podem ser mais protagonistas na vida da Igreja?

 


   Francisco respondeu recordando que o “mundo precisa de pessoas que testemunhem aos outros que Deus nos ama”. Não basta “colocar-se a serviço do bem comum oferecendo coisas necessárias para a existência”, como o alimento, as vestes, os cuidados médicos, a instrução, a informação e a justiça.

 


   “Nós, discípulos do Senhor, temos uma missão a mais: a de sermos ‘canais’ que transmitem o amor de Jesus. E nessa missão, vocês, adolescentes e jovens, têm um papel particular. Vocês são chamados a falar sobre Jesus a seus coetâneos, não somente no seio da comunidade paroquial ou da associação de vocês, mas sobretudo aos de fora. Este é um compromisso reservado especialmente a vocês, porque com a coragem, o entusiasmo de vocês, a espontaneidade e a facilidade para o encontro podem chegar mais facilmente à mente e ao coração daqueles que se distanciaram do Senhor.”

 


   “Muitos adolescentes e jovens da idade de vocês – acrescentou o Papa – têm uma imensa necessidade de alguém que com a própria vida lhes diga que Jesus nos conhece, nos ama, nos perdoa, partilha conosco nossas dificuldades e nos sustenta com a sua graça”:

 


   “Mas para falar aos outros de Jesus é preciso conhecê-lo e amá-lo, fazer experiência d’Ele na oração, na escuta de sua Palavra. Nisso vocês são facilitados pelo serviço litúrgico que prestam, que lhes permite estar próximo de Jesus Palavra e Pão da vida. Dou-lhes um conselho: o Evangelho que vocês ouvem na liturgia, releiam-no pessoalmente, em silêncio, e apliquem-no à vida de vocês; e com o amor de Cristo, recebido na santa Comunhão, você podem colocá-lo em prática. O Senhor chama cada um de vocês a trabalhar em seu campo; chama-os a serem alegres protagonistas de sua Igreja, prontos a comunicar a seus amigos aquilo que Ele lhes comunicou.”

 


   Outro coroinha perguntou como é possível conciliar várias atividades, entre as quais a atividade esportiva ou a paixão pela música, com o compromisso de ministrante. O Papa disse que é preciso saber planificar, entender o que é realmente importante e recordar-se do Senhor:

 


   “É preciso organizar-se um pouco, programar as coisas de modo equilibrado… mas vocês são alemães, e isso não é difícil para vocês! Nossa vida é feita de tempo e o tempo é dom de Deus, portanto é necessário empregá-lo em ações boas e frutuosas.

 


Fé e liberdade

   Como experimentar – perguntou por fim um terceiro coroinha – que a fé significa liberdade? De Deus recebemos o grande dom da liberdade, afirmou o Papa.

 


   “Se não é exercida bem, porém, a liberdade pode nos levar para longe de Deus, pode fazer-nos perder a dignidade da qual Ele nos revestiu. Por isso são necessárias orientações, indicações e também regras, tanto na sociedade quanto na Igreja, para ajudar-nos a fazer a vontade de Deus, vivendo assim segundo a nossa dignidade de homens e de filhos de Deus. Quando não é plasmada pelo Evangelho, a liberdade pode transformar-se em escravidão: a escravidão do pecado.”

 


   Por fim, o Papa acrescentou: “Caros adolescentes e jovens, não usem mal a liberdade de vocês! Não desperdicem a grande dignidade de filhos de Deus que lhes foi dada! Se Seguirem Jesus e o seu Evangelho, suas vidas desabrochará como uma planta em flor, e dará frutos bons e abundantes! Vocês encontrarão a alegria autêntica, porque Ele nos quer homens e mulheres plenamente felizes e realizados. Somente aderindo à vontade de Deus podemos realizar o bem e ser luz do mundo e sal da terra.”


 Catedral Sagrado Coração de Jesus, Todos os Direitos Reservados. Copyright 2018
Desenvolvido por: NIVELDIGITAL