Noticias

Quinta reunião do Conselho de Cardeais com o papa se encerra hoje em clima de grande entendimento

   05/07/2014
Fonte: www.zenit.org   

  Ainda não há rascunhos das novas constituições, mas já se sabe a data dos próximos três encontros do conselho

 


  A quinta reunião do Conselho de Cardeais, que durou quatro dias, se encerra hoje, 4 de julho. O conselho, formado por nove cardeais, foi instituído pelo papa Francisco a fim de ajudá-lo na reforma da Cúria Romana.

 


   Os próximos encontros do grupo serão de 15 a 17 de setembro de 2014; de 9 a 11 de dezembro de 2014 e de 9 a 11 de fevereiro de 2015.

 


   O porta-voz da Santa Sé, pe. Federico Lombardi, afirmou que “os temas tratados [nesta reunião] foram o governo da Cidade do Vaticano, a Secretaria de Estado e o Instituto para as Obras de Religião (IOR)”. Também “foi retomada a questão dos dicastérios, em particular o dos leigos e da família”. O porta-voz considerou “muito interessante o objeto das conversas, o papel dos leigos e dos casais, dos homens e das mulheres”.

 


   O pe. Federico Lombardi informou que “ainda não há nenhuma decisão sobre a reforma das estruturas” e que “hoje também foram abordados outros dicastérios, mas ainda em um nível inicial de discussão”.

 


  Além destes assuntos, o conselho também tratou “das nunciaturas, do seu trabalho, da escolha dos núncios e dos bispos. Estamos dando continuidade ao intercâmbio de opiniões”, disse Lombardi, precisando que “não houve participação de outras comissões, exceto no primeiro dia, com a comissão de vigilância cardinalícia do IOR” [Instituto para as Obras de Religião, erroneamente conhecido no passado como o “banco vaticano”]. 

 


   “Sobre o ambiente de trabalho, há uma notável satisfação, com grande cordialidade e serenidade. As pessoas de idioma inglês o definiram como ‘free, frank, friendly’” [livre, franco e amigável].

 


   “O papa entra com naturalidade nesta dinâmica de diálogo, favorecendo a liberdade de exposição, embora se trate de um conselho que faz as propostas para que o papa depois tome as decisões finais”, prosseguiu Lombardi. “Um cardeal me comentou que, faz alguns anos, era impensável um clima de tanta naturalidade e cordialidade”, completou o porta-voz, recordando ainda que “não podemos falar de rascunhos das novas constituições por enquanto, já que elas estão sendo estudadas com naturalidade e calma”.

 


   Perguntado por ZENIT sobre a urgência da reforma, o pe. Lombadri descartou esse termo e considerou que, se as reuniões se prolongarem demais, o Santo Padre poderia estabelecer um prazo de término, mas no momento não há necessidade.

 Catedral Sagrado Coração de Jesus, Todos os Direitos Reservados. Copyright 2018
Desenvolvido por: NIVELDIGITAL