Artigos
Sob o signo da alegria



Continua repercutindo o recente documento Evangelii Gaudium, do Papa Francisco. E´ tido como o primeiro documento oficial escrito por ele, em forma de “Exortação Apostólica pós sinodal”. 

A forma do documento remete ao Sínodo de 2012, realizado para comemorar os 50 anos do Concílio. Portanto, em princípio, o documento de agora recolhe as sugestões apresentadas no Sínodo. De tal modo que o documento mantém o propósito de continuidade entre um pontificado e outro. 

Mas acontece que o Papa Francisco imprimiu neste documento, o seu modo característico de abordar os assuntos, de maneira clara, direta, ao mesmo tempo simples e profunda. 

Além disto, ele mesmo sugere estar iniciando uma “uma nova etapa evangelizadora marcada por esta alegria e indicar caminhos para o percurso da Igreja nos próximos anos”. 

Portanto, o Papa está apresentando agora, de maneira orgânica, uma espécie de “plano de governo”, ao menos para os próximos anos.
E´ praxe na Igreja “carimbar” os documentos com palavras iniciais bem escolhidas, portadoras de uma mensagem, que precisa ser interpretada com a luz de uma semântica própria, pela qual é possível decifrar o significado de um determinado documento.

O título desta “Exortação Apostólica” – “Evangelii Gaudium” - tem evidente conexão com o famoso documento de Paulo VI, a “Evangelii Nuntiandi”. 

A semelhança das palavras sugere semelhança entre os dois documentos, seja na forma como no conteúdo. E de fato, já dá para avançar uma perspectiva. O documento de agora será acolhido da mesma maneira como foi acolhido o “Evangelii Nuntiandi”, que permaneceu por muitos anos, como fonte de inspiração para a ação evangelizadora da Igreja. 

Mas a semelhança de palavras, arma para a “Evangelii Gaudium” um leque maior de referências, que ajudam a dimensionar a importância deste documento. 

Trata-se da palavra “gaudium” que se tornou uma espécie de “senha” para acessar o Concílio. De fato, dá para fazer algumas constatações interessantes, em torno do uso desta palavra no Concílio. Para chegarmos à conclusão que de que o atual documento do Papa vem na continuidade das propostas conciliares, que recebem agora novo impulso com a Evangelii Gaudium. 

Vamos conferir. O Concílio Vaticano Segundo teve o seu início oficial com o famoso discurso de abertura, feito por João 23. Este discurso começou com as bonitas palavras de exultação: “Gaudet Mater Ecclesia”, “alegra-se a mãe Igreja”. 

E o último documento do concílio, aprovado padres conciliares a sete de dezembro de 1965, leva como título: “Gaudium et Spes.

Desta maneira, dá para dizer que o Concílio começou e terminou à luz da palavra “gaudium”.

O Concílio Vaticano Segundo foi realizado sob o signo da alegria.

Tanto mais se torna significativo o fato do Papa Francisco ter usado esta palavra no título do seu “plano de governo” 

Daí que a “Evangelii Gaudium” tem tudo a ver com a “Gaudet Mater Eccleccia” e com a “Gaudium et Spes”. O plano de governo do Papa Francisco, tem tudo a ver com a implementação do Concílio, que ele tanto nos incentiva a levar em frente, seguindo o seu próprio exemplo.

Dom Luiz Demétrio Valentini
Colunista do Portal Ecclesia. (+ artigos)
Bispo de Jales (SP). Cursou filosofia no Seminário Maior de Viamão (RS) e teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma. Licenciado em letras pela Faculdade de Palmas, no Paraná.
 Catedral Sagrado Coração de Jesus, Todos os Direitos Reservados. Copyright 2018
Desenvolvido por: NIVELDIGITAL